Eco Bras I – Programa da Disciplina

ECO-030 – Economia Brasileira Contemporânea I

2o Semestre 2015

Prof. Gustavo Barros

http://gustavo.barros.nom.br

_________________________________________

Objetivos do curso

Este curso visa oferecer uma visão geral da história econômica do Brasil ao longo das aproximadamente cinco décadas que vão desde os desdobramentos da crise de 1929 até a crise da dívida no início da década de 1980. A economia brasileira viveu grandes transformações ao longo desse período, através do processo de industrialização por substituição de importações, com as altas taxas de crescimento do produto que o acompanharam. Mas também foi marcada por recorrentes crises do setor externo, bem como por taxas de inflação relativamente elevadas e distorções econômicas diversas.

O curso está estruturado de maneira, grosso modo, cronológica e tem por eixo básico esse processo de industrialização – sua caracterização, sua evolução, seus determinantes, seus condicionantes, seus desdobramentos. Mas o curso procura também elaborar tanto a diversidade de interpretações e abordagens sobre o período quanto as diversas dimensões desse processo histórico de transformação. Nesse sentido, de forma articulada a esse eixo central, elaboraremos ao longo do curso temas e questões como: a condução da política econômica e a atuação dos grupos sociais, a situação das contas externas, o pensamento econômico, as dimensões política e social do processo, o cenário internacional entre outros.

Leituras e acompanhamento do curso

O curso baseia-se na combinação de aulas expositivas, discussão em sala de aula e leitura da bibliografia indicada. As atividades em sala de aula e a leitura dos textos são estritamente complementares, e devem ser desenvolvidas paralelamente pelo(a) aluno(a). Sem a leitura da bibliografia indicada, a compreensão adequada das aulas expositivas e a participação em sala de aula ficam prejudicadas. Por outro lado, o objetivo das aulas expositivas é justamente mapear os aspectos principais da bibliografia em discussão, facilitando assim a adequada compreensão dos textos. A leitura da bibliografia indicada, portanto, deve ser feita ao longo do curso e em paralelo com as aulas correspondentes, e não “em bloco” na iminência das provas.

A bibliografia específica de cada item do programa está indicada abaixo. Os itens anotados com asterisco são considerados bibliografia mínima para o acompanhamento das aulas. Porém, toda a bibliografia listada é recomendada.

Programa

Parte I – Primeiro governo Vargas (1930-1945): Revolução e mudança no padrão de acumulação

  1. A Crise de 1929 e a Grande Depressão: políticas econômicas e consequências

  • Furtado (1991, caps. XXX a XXXII, p. 177-203)*

  • Silber (1978)*

  • Pelaez (1968)

  • Furtado (1991, caps. XXVI a XXIX, p. 151-73)

  • Abreu, “Crise, crescimento e modernização autoritária: 1930-1945”, em Abreu (1990, cap. 3, itens 1 e2, p. 73-90)

  1. Os anos 1930: Revolução e centralização política

  • Diniz (1986)*

  • Oliveira (1984)

  • Fausto (1997)

  1. Estado e indústria no primeiro governo Vargas

  • Fonseca (2003)*

  • Dean (1991, cap. 10, p. 194-220)*

  • Corsi (1999)

  1. O Estado Novo e a economia brasileira durante a Segunda Guerra Mundial

  • Furtado (1991, cap. XXXIII, p. 204-16)*

  • Abreu, “Crise, crescimento e modernização autoritária: 1930-1945”, em Abreu (1990, cap. 3, item 3, p. 90-104)*

  • Malan et al. (1977, cap.3, seções 3.2.1 e 3.3.1, p. 125-142, 155-164)

Parte II – A Quarta República (1945-1964): Desenvolvimentismo, nacionalismo, populismo

  1. Governo Dutra

  • Vianna, “Política econômica externa e industrialização”, em Abreu (1990, cap. 4, p. 105-22)*

  • Furtado (1991, caps. XXXIV a XXXVI, p. 217-42)

  • Malan et al. (1977, cap.3, seções 3.2.2 e 3.3.2, p. 142-154, 164-177)

  1. Segundo governo Vargas

  • Vianna, “Duas tentativas de estabilização: 1951-1954”, em Abreu (1990, cap. 5, p. 123-50)*

  • Fonseca (2010)

  • Lessa e Fiori (1991)

  1. Nacional desenvolvimentismo, populismo

  • Bielschowsky (2000, cap. 5, itens 5.3 e 5.4, p. 103-62)*

  • Gomes (1996)

  1. JK e o Plano de Metas

  • Orenstein e Sochaczewski, “Democracia com desenvolvimento: 1956-1961”, em Abreu (1990, cap. 7, p. 171-95)*

  • Lafer (2003)

  1. A crise dos anos 1960

  • Mesquita (1992, cap. 5, p. 237-66)*

  • Abreu, “Inflação, estagnação e ruptura”, em Abreu (1990, cap. 8, p. 197-212)*

Parte III – Ditadura militar (1964-1980): Das reformas à crise

  1. PAEG: Estabilização e reformas

  • Simonsen (1974)*

  • Resende, “Estabilização e reforma: 1964-1967”, em Abreu (1990, cap. 9, p. 213-31)

  1. O “milagre econômico”

  • Lago, “A Retomada do crescimento e as distorções do ‘milagre’: 1967-1973”, em Abreu (1990, cap. 10, itens 1-3, 6-8 p. 233-48; 272-94)*

  • Veloso et al. (2008)
  1. O II PND

  • Castro (1985, “Introdução”, itens 1 e 2, “O ganho de divisas decorrente dos grandes programas setoriais”, p. 11-47, 56-60)*

  • Carneiro, “Crise e esperança: 1974-1980”, em Abreu (1990, cap. 11, p. 295-322)

  1. Crescimento econômico, endividamento e crise

Parte IV – O processo de industrialização brasileiro

  1. Industrialização antes de 1930: Café e indústria

  • Saes (1989)*

  • Furtado (1991, caps. XXVI a XXIX, p. 151-73)

  • Versiani e Versiani (1978)

  1. Industrialização por substituição de importações (ISI)

  • Prebisch (2000, itens I a III, p. 71-92)*

  • Tavares (1975, parte I, “O processo de substituição de importações como modelo de desenvolvimento na América Latina”, e parte II, item E, “Conclusões”, p. 29-58, 97-115)*

  • Prebisch (2000, itens IV a VII, p. 92-136)

  • Tavares (1975, parte II, “O caso do Brasil”, p. 59-97, 115-124)

  • Fishlow (1972)

Avaliação

A avaliação constará de duas provas em sala de aula e da entrega de seis resumos ao longo do curso. Cada uma das provas comporá 40% da nota final e o conjunto dos resumos os 20% restantes. Haverá uma segunda chamada ao final do curso cobrindo toda a matéria, para aqueles que eventualmente tenham perdido alguma das provas, por qualquer motivo. A segunda chamada será destinada apenas aos alunos que efetivamente tenham perdido alguma das provas, com uma única exceção. Alunos(as) que tirarem menos do que 45 pontos (em 100) na primeira prova, e apenas no caso da primeira prova, poderão também fazer a segunda chamada e, nesse caso, a nota da segunda chamada substituirá a nota da primeira prova, se for maior do que ela.

Os resumos dos textos indicados abaixo deverão ser entregues até as datas especificadas (no horário da aula):

  • Resumo 1, até 13/nov: Furtado (1991, caps. XXX a XXXII, p. 177-203)

  • Resumo 2, até 26/nov: Dean (1991, cap. 10, p. 194-220)

  • Resumo 3, até 04/dez: Furtado (1991, caps. XXXIII a XXXV, p. 204-32)

  • Resumo 4, até 14/jan: Bielschowsky (2000, cap. 5, item 5.3, p. 103-27)

  • Resumo 5, até 29/jan: Castro (1985, “Introdução”, itens 1 e 2, p. 13-47)

  • Resumo 6, até 12/fev: Tavares (1975, parte I, itens A a C, p. 29-53)

Observações:

  • Os resumos deverão conter uma apresentação sucinta dos principais argumentos do texto em questão com suas próprias palavras.

  • Os resumos deverão ter no máximo uma folha frente e verso e deverão ser manuscritos (à caneta).

  • A nota integral correspondente a cada resumo será conferida pela sua entrega nas condições especificadas.

  • Dos seis resumos requeridos, você pode deixar de entregar até um deles sem prejuízo de nota, por qualquer motivo. Use essa possibilidade apenas em caso de real necessidade, pois se usar por conveniência no correr do semestre não disporá dela depois, se vier precisar de fato.

  • Resumos entregues com atraso receberão metade da nota, e só serão aceitos até a data de entrega do resumo seguinte (ou, no caso dos que antecederem imediatamente uma das provas, até a data da prova seguinte).

  • Cópias não serão consideradas e serão punidas com a perda de um outro resumo entregue (independentemente de quem foi autor ou fonte da cópia).

  • Quaisquer eventuais alterações e revisões de datas em função do andamento do curso serão mantidas atualizadas no site (veja abaixo). Na dúvida sobre datas, consultem a página da disciplina (aqui).

Site

Eu usarei o meu site (http://gustavo.barros.nom.br) para me comunicar com vocês. Este será o nosso canal de comunicação para todas as necessidades além da aula. De forma que você deve acompanhar os posts e avisos que eu farei lá.

Acompanhar os posts é simples, e pode ser feito através do feed de notícias da nossa disciplina, que é o seguinte: https://gustavo.barros.nom.br/tag/2015-2-ecobras-1/feed/

Se você já usa regularmente um agregador de feeds, basta assinar o feed da disciplina. Alternativamente, é possível receber avisos por e-mail sempre que um novo post for adicionado, bastando fazer uma inscrição para tanto no http://blogtrottr.com/ (ou outro serviço equivalente). Não é necessário sequer fazer cadastro, basta fornecer o e-mail da sua preferência e o endereço do feed acima e você receberá um aviso em seu e-mail toda vez que surgir um novo post para a nossa disciplina.

Além dos posts e avisos, vocês encontram na página da disciplina (https://gustavo.barros.nom.br/disciplinas/2015-2o-economia-brasileira-i/) uma série de materiais complementares (vídeos, documentários etc) que trata de assuntos correlatos aos que discutiremos ao longo do curso e pode ser do interesse de vocês.

Horário de atendimento

Meu horário reservado para o atendimento aos alunos este semestre (2o/2015) é às terças-feiras, das 17:00 às 19:00. Para marcar um atendimento, faça o seu agendamento prévio através do site (https://gustavo.barros.nom.br/alunos/horario-de-atendimento/).

Bibliografia

Abreu, Marcelo de Paiva (org.). A Ordem do progresso: Cem anos de política econômica republicana, 1889-1989. Rio de Janeiro: Campus, 1990.

Bielschowsky, Ricardo. Pensamento econômico brasileiro: O Ciclo ideológico do desenvolvimentismo. 5. ed. Rio de Janeiro: Contraponto, 2000.

Castro, Antonio Barros de. Ajustamento X Transformação. A economia brasileira de 1974 a 1984. In: Castro, Antonio Barros de; Souza, Francisco Eduardo Pires de. A Economia brasileira em marcha forçada. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1985. p. 11-95.

Corsi, Francisco L. O projeto de desenvolvimento de Vargas, a missão Osvaldo Aranha e os rumos da economia brasileira. História econômica e história de empresas, II.I, p. 35-68, 1999.

Cruz, Paulo Davidoff. Notas sobre o endividamento externo brasileiro nos anos setenta. In: Belluzzo, Luiz Gonzaga de Mello; Coutinho, Renata (Orgs.).Desenvolvimento capitalista no Brasil: Ensaios sobre a crise. v. 2, São Paulo: Brasiliense, 1983. p. 59-106.

Cruz, Paulo Davidoff. O endividamento externo e as políticas governamentais. In: Dívida externa e política econômica: A experiência brasileira nos anos setenta. São Paulo: Brasiliense, 1984. Cap. 2. p. 28-92.

Dean, Warren. A Industrialização de São Paulo (1880-1945). 4. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1991.

Diniz, Eli. O Estado Novo: Estrutura de poder e relações de classes. In: Fausto, Boris (dir.), História Geral da Civilização Brasileira, Tomo III – O Brasil republicano, 3o Volume – Sociedade e política (1930-1964). 3a ed. São Paulo: Difel, 1986.

Fausto, Boris. Introdução e Prefácio à edição de 1997. In:______. A Revolução de 1930: História e historiografia. 16a ed. rev. amp. São Paulo: Companhia das Letras, 1997. p. 7-27.

Fishlow, Albert. Origens e consequências da substituição de importações no Brasil. Estudos Econômicos, v. 2, n. 6, p. 7-75, dez. 1972.

Fishlow, Albert. A dívida externa latino-americana: um caso de desenvolvimento com incerteza. Pesquisa e Planejamento Econômico, 11 (2), p. 283-322, ago 1981.

Fonseca, Pedro Cezar Dutra. Sobre a Intencionalidade da Política Industrializante do Brasil na Década de 1930. Revista de Economia Política, v. 23, n. 1 (89), p. 133-48, janeiro-março/2003.

Fonseca, Pedro Cezar Dutra. Nem ortodoxia nem populismo: o segundo governo Vargas e a economia brasileira. Tempo, 14 (28), p. 19-58, 2010.

Furtado, Celso. Formação econômica do Brasil. 24. ed. São Paulo: Editora Nacional, 1991.

Gomes, Angela M. C. O populismo e as ciências sociais no Brasil: notas sobre a trajetória de um conceito. Tempo, 1 (2), p. 31-58, 1996.

Lafer, Celso. O Planejamento no Brasil: Observações sobre o Plano de Metas (1956-1961). In: Mindlin, Betty (Org.). Planejamento no Brasil. 5. ed., São Paulo: Perspectiva, 2003. p. 29-50.

Lessa, Carlos; Fiori, José Luis. E houve uma política econômica nacional-populista? Texto para discussão no 251, UFRJ/IEI, janeiro 1991, 32p.

Malan, Pedro S.; Bonelli, Regis; Abreu, Marcelo de P.; Pereira, José Eduardo de C. Política econômica externa e industrialização no Brasil (1938/52). Rio de Janeiro: IPEA/INPES, 1977.

Mesquita, Mário Magalhães Carvalho. 1961-1964: A Política econômica sob Quadros e Goulart. Dissertação de mestrado, PUC-RJ, 1992.

Oliveira, Lucia Lippi de. A Revolução de 1930 e suas versões. In: Abreu; Alzira; Belloch, Israel (Orgs.). Dicionário histórico-biográfico brasileiro (1930-1983). v. 4, Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1984. p. 2944-47.

Peláez, Carlos Manoel. A Balança comercial, a Grande Depressão e a industrialização brasileira. Revista Brasileira de Economia, Ano XXII, n. 1, p. 15-47, março 1968.

Prebisch, Raúl. O Desenvolvimento econômico da América Latina e alguns dos seus problemas principais. In: Bielschowsky, R. (org.). Cinquenta anos de pensamento na CEPAL. Rio de Janeiro: Record, 2000. p. 69-136.

Saes, Flávio Azevedo Marques de. A Controvérsia sobre a industrialização na Primeira República. Estudos Avançados, vol. 3, no 7, p. 20-39, set/dez 1989.

Silber, Simão. Análise da política econômica e do comportamento da economia brasileira durante o período 1929/1939. In: Versiani, Flávio Rabelo; Barros, José Roberto Mendonça de. Formação Econômica do Brasil: A Experiência da industrialização. 1a ed. rev. São Paulo: Saraiva, 1978. p. 187-207.

Simonsen, Mario Henrique. A Imaginação reformista. In: Simonsen, Mario Henrique; Campos, Roberto de Oliveira. A Nova economia brasileira. Rio de Janeiro: J. Olympio, 1974. cap. VI, p. 119-50.

Tavares, Maria da Conceição. Auge e declínio do processo de substituição de importações no Brasil. In: ______. Da Substituição de importações ao capitalismo financeiro: Ensaios sobre economia brasileira. 4. ed. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1975. p. 27-124.

Veloso, Fernando A.; Villela, André; Giambiagi, Fábio. Determinantes do “milagre” econômico brasileiro (1968-1973): Uma análise empírica. Revista Brasileira de Economia, v. 62, n. 2, p. 221-246, Abr-Jun 2008.

Versiani, Flávio Rabelo; Versiani, Maria Teresa. A industrialização brasileira antes de 1930: uma contribuição. In: Versiani, Flávio R.; Barros, José Roberto Mendonça de (Orgs.). Formação econômica do Brasil: A experiência da industrialização. 1. ed. rev. São Paulo: Saraiva, 1978. p. 121-42.

Advertisements