Eco Bras (SS-Adm) – Programa da disciplina

ECO-035 – Economia Brasileira

1o Semestre 2013

Prof. Gustavo Barros

_________________________________________

Programa

Parte I – Primeira República (1889-1930): O café e o crescimento da indústria

  1. Economia agroexportadora
  2. Industrialização antes de 1930

Parte II – Primeiro governo Vargas (1930-1945): Revolução e mudança no padrão de acumulação

  1. A Crise de 1929 e a Grande Depressão: políticas econômicas e consequências
  2. Os anos 1930: Revolução e centralização política
  3. O Estado Novo e a economia brasileira durante a Segunda Guerra Mundial
  4. Processo de industrialização por substituição de importações

Parte III – A Quarta República (1945-1964): Desenvolvimentismo, nacionalismo, populismo

  1. O pós-Guerra e o segundo governo Vargas
  2. JK e o Plano de Metas
  3. Nacional desenvolvimentismo, populismo
  4. A crise do início dos anos 1960

Parte IV – Autoritarismo, crescimento econômico e esgotamento do modelo de desenvolvimento

  1. As reformas institucionais do PAEG e o “milagre econômico”
  2. O II PND: a economia brasileira em marcha forçada
  3. Crescimento econômico, endividamento e crise

Parte V – A Nova República

  1. A saga dos planos heterodoxos: Inflação e tentativas de estabilização
  2. As reformas da década de 1990
  3. A economia brasileira pós-estabilização: FHC e Lula

 

Avaliação

A avaliação constará de três provas em sala de aula, com pesos iguais. As provas consistirão de questões dissertativas abertas, cobrindo a matéria dada até o momento que ainda não tiver sido cobrada nas provas anteriores.

Haverá uma prova substitutiva ao final do curso cobrindo toda a matéria, e que cumprirá também o papel de segunda chamada, para aqueles que eventualmente tenham perdido alguma das provas, por qualquer motivo. A substitutiva será aberta a todos os alunos que desejarem fazê-la, quer tenham perdido alguma das provas quer não. Porém, a nota da substitutiva necessariamente substituirá a nota de alguma das três provas regulamentares.

 

Site

Eu usarei o meu site (http://gustavo.barros.nom.br) para me comunicar com vocês. Este será o nosso canal de comunicação para todas as necessidades além da aula. De forma que você deve acompanhar os posts e avisos que eu farei lá.

Acompanhar os posts é simples, e pode ser feito através do feed de notícias da nossa disciplina, que é o seguinte: https://gustavo.barros.nom.br/tag/ebssad-2013-1/feed/

Para receber avisos por e-mail sempre que um novo post for adicionado, basta fazer uma inscrição para tanto no http://blogtrottr.com/ (ou outro serviço equivalente). Não é necessário sequer fazer cadastro, basta fornecer o e-mail da sua preferência e o endereço do feed acima e você receberá um aviso em seu e-mail toda vez que surgir um novo post para a nossa disciplina. Alternativamente, se você já usa regularmente um agregador de feeds, basta assinar o feed da disciplina.

 

Bibliografia Básica

Gremaud, Amaury Patrick; Saes, Flávio Azevedo Marques de; Toneto Jr., Rudinei. Formação Econômica do Brasil. São Paulo: Atlas, 1997.

Gremaud, Amaury Patrick; Vasconcellos, Marco Antonio Sandoval de; Toneto Jr., Rudinei. Economia brasileira contemporânea. 7. ed., São Paulo: Atlas, 2012.

(outras referências poderão ser acrescentadas ao longo do curso)

 

Bibliografia Complementar

Abreu, Marcelo de Paiva (org.). A Ordem do progresso: Cem anos de política econômica republicana, 1889-1989. Rio de Janeiro: Campus, 1990.

Batista Jr., Paulo Nogueira. O Plano Real à luz da experiência mexicana e argentina. Estudos Avançados, 10 (28), p. 127-97, 1996.

Baumann, Renato. Brasil en los años noventa: una economía en transición. Revista de la CEPAL, 73, Abril 2001.

Bielschowsky, Ricardo. Pensamento econômico brasileiro: O Ciclo ideológico do desenvolvimentismo. 5. ed. Rio de Janeiro: Contraponto, 2000.

Castro, Antonio Barros de. Ajustamento X Transformação. A economia brasileira de 1974 a 1984. In: Castro, Antonio Barros de; Souza, Francisco Eduardo Pires de. A Economia brasileira em marcha forçada. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1985. p. 11-95.

Cruz, Paulo Davidoff. Notas sobre o endividamento externo brasileiro nos anos setenta. In: Belluzzo, Luiz Gonzaga de Mello; Coutinho, Renata (Orgs.).Desenvolvimento capitalista no Brasil: Ensaios sobre a crise. v. 2, São Paulo: Brasiliense, 1983. p. 59-106.

Dean, Warren. A Industrialização de São Paulo (1880-1945). 4. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1991.

Diniz, Eli. O Estado Novo: Estrutura de poder e relações de classes. In: Fausto, Boris (dir.), História Geral da Civilização Brasileira, Tomo III – O Brasil republicano, 3o Volume – Sociedade e política (1930-1964). 3a ed. São Paulo: Difel, 1986.

Fausto, Boris. Introdução e Prefácio à edição de 1997. In:______. A Revolução de 1930: História e historiografia. 16a ed. rev. amp. São Paulo: Companhia das Letras, 1997. p. 7-27.

Ferraz, João Carlos; Kupfer, David; Iooty, Mariana. Competitividad industrial en Brasil – 10 años después de la liberalización. Revista de la CEPAL, 82, p. 91-119, Abril 2004.

Fishlow, Albert. Origens e consequências da substituição de importações no Brasil. Estudos Econômicos, v. 2, n. 6, p. 7-75, dez. 1972.

Fonseca, Pedro Cezar Dutra. Nem ortodoxia nem populismo: o segundo governo Vargas e a economia brasileira. Tempo, 14 (28), p. 19-58, 2010.

Furtado, Celso. Formação econômica do Brasil. 24. ed. São Paulo: Editora Nacional, 1991.

Furtado, Celso. Subdesenvolvimento e estagnação na América Latina. 3. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1968.

Furtado, Celso. Análise do “modelo” brasileiro. In: ______. Análise do “modelo” brasileiro. 3. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1972. p. 7-79.

Giambiagi, Fabio; Villela, André; Castro, Lavínia Barros de; Hermann, Jennifer (Orgs.). A Economia brasileira contemporânea (1945-2010). 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011.

Giambiagi, Fábio; Moreira, Maurício Mesquita (Orgs.). A Economia brasileira nos anos 1990. Rio de Janeiro: BNDES, 1999.

Gomes, Angela M. C. O populismo e as ciências sociais no Brasil: notas sobre a trajetória de um conceito. Tempo, 1 (2), p. 31-58, 1996.

Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA). A Década Inclusiva (2001-2011): Desigualdade, Pobreza e Políticas de Renda. [S.l.]: Ipea, 25 de setembro de 2012. (Comunicados do IPEA, n. 155).

Lafer, Celso. O Planejamento no Brasil: Observações sobre o Plano de Metas (1956-1961). In: Mindlin, Betty (Org.). Planejamento no Brasil. 5. ed., São Paulo: Perspectiva, 2003. p. 29-50.

Lopes, Francisco. Inflação inercial, hiperinflação e desinflação: Notas e conjecturas. In: ______. O Choque heterodoxo: Combate à inflação e reforma monetária. Rio de Janeiro: Campus, 1986. p. 121-43.

Malan, Pedro S.; Bonelli, Regis; Abreu, Marcelo de P.; Pereira, José Eduardo de C. Política econômica externa e industrialização no Brasil (1938/52). Rio de Janeiro: IPEA/INPES, 1977.

Mesquita, Mário Magalhães Carvalho. 1961-1964: A Política econômica sob Quadros e Goulart. Dissertação de mestrado, PUC-RJ, 1992.

Oliveira, Lucia Lippi de. A Revolução de 1930 e suas versões. In: Abreu; Alzira; Belloch, Israel (Orgs.). Dicionário histórico-biográfico brasileiro (1930-1983). v. 4, Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1984. p. 2944-47.

  • disponível em http://cpdoc.fgv.br/ → Acervo → Busca, na busca selecione “Verbete” e busque por “Revolução de 1930”, o texto de Lúcia Lippi de Oliveira faz parte do verbete (está ao final)

Peláez, Carlos Manoel. A Balança comercial, a Grande Depressão e a industrialização brasileira. Revista Brasileira de Economia, Ano XXII, n. 1, p. 15-47, março 1968.

Pereira, Luiz Carlos Bresser; Nakano, Yoshiaki. Fatores aceleradores, mantenedores e sancionadores da inflação. Revista de Economia Política, v. 4, n. 1, p. 5-21, janeiro-março 1984.

Prebisch, Raúl. O Desenvolvimento econômico da América Latina e alguns dos seus problemas principais. In: Bielschowsky, R. (org.). Cinquenta anos de pensamento na CEPAL. Rio de Janeiro: Record, 2000. p. 69-136.

Resende, André Lara. A moeda indexada: uma proposta para eliminar a inflação inercial. In: Rego, José Márcio (Org.). Inflação inercial, teorias sobre inflação e o Plano Cruzado. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1986. p. 149-58.

Saes, Flávio Azevedo Marques de. A Controvérsia sobre a industrialização na Primeira República. Estudos Avançados, vol. 3, no 7, p. 20-39, set/dez 1989.

Silber, Simão. Análise da política econômica e do comportamento da economia brasileira durante o período 1929/1939. In: Versiani, Flávio Rabelo; Barros, José Roberto Mendonça de. Formação Econômica do Brasil: A Experiência da industrialização. 1a ed. rev. São Paulo: Saraiva, 1978. p. 187-207.

Simonsen, Mario Henrique. A Imaginação reformista. In: Simonsen, Mario Henrique; Campos, Roberto de Oliveira. A Nova economia brasileira. Rio de Janeiro: J. Olympio, 1974. cap. VI, p. 119-50.

Tavares, Maria da Conceição. Auge e declínio do processo de substituição de importações no Brasil. In: ______. Da Substituição de importações ao capitalismo financeiro: Ensaios sobre economia brasileira. 4. ed. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1975. p. 27-124.

Tavares, Maria da Conceição; Assis, José Carlos de. O Grande salto para o caos: A economia e a política econômica do regime autoritário. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1985.

Tavares, Maria da Conceição; Serra, José. Além da estagnação. In: Tavares, Maria da Conceição, Da Substituição de importações ao capitalismo financeiro: Ensaios sobre economia brasileira. 4. ed. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1975. p. 153-207.

Teixeira, Aloisio. O Ajuste impossível (Um estudo sobre a desestruturação da ordem econômica mundial e seu impacto sobre o Brasil). Tese (Doutorado) – Unicamp, Campinas, 1993.

Advertisements